Tintim esteve para chamar-se "Pepito" em Espanha

Publié le par Zetantan

O coleccionador Jordi Tardá apresentou quinta-feira uma exposição com mais de 400 objectos relacionados com Tintim e com o seu criador, o belga Georges Remi, mais conhecido como Hergé (1907-1983), que permanecerá aberta ao público até 15 de Fevereiro.

Entre os documentos, há um, até agora desconhecido, que constata que Tintim esteve para se chamar "Pepito" nas traduções para espanhol das primeiras publicações de Hergé.

Em 1952, a editorial belga de distribuição dos livros de Tintim, a Casterman, decidiu promover a personagem noutros países traduzindo as histórias "O Segredo do Licorne" e "O Tesouro de Rackham o Terrível" para espanhol, inglês e alemão.

Inicialmente, a Casterman decidiu chamar "Pepito" à personagem em Espanha, o que se pode verificar na tradução original de "El Tesoro de Rackam el Rojo", na qual se pode ver no texto a palavra "Pepito" escrita em cima do nome de Tintim.

Como novidade, na mostra apresenta-se também pela primeira vez o primeiro auto-retrato de Hergé, datado de 1930, uma série de brinquedos relacionados com as personagens das aventuras de Tintim e um exemplar de "A Estrela Misteriosa" que o criador do mítico repórter dedica ao rei Balduíno da Bélgica.

Os mais de 400 objectos sobre o repórter mais universal da Banda Desenhada patentes na exposição representam apenas 15 por cento da colecção de Tardá.

A mostra está dividida em duas partes, nas quais se pode ver, por um lado, o processo de criação dos distintos números das aventuras de Tintim e, por outro, perfazer uma volta ao mundo seguindo os passos desta personagem, através dos 24 álbuns publicados e de outros dois que ficaram por concluir.

Como curiosidade, pode-se observar o único exemplar de "Rumo à Lua" que Hergé autografou, juntamente com os três primeiros astronautas que a pisaram.

ANC.

 

© 2008 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.
2008-12-19 01:10:01

Publié dans Imprensa

Commenter cet article