Jamie Bell, aliás “Billy Elliot”, vai ser o Tintin de Spielberg

Publié le par Zetantan

Daniel Craig também se juntou ao elenco e vai ser Rackham O Terrível.


Em catadupa, uma série de novidades sobre o filme baseado nas aventuras de Tintin, "d'aprés Hergé": já há protagonista, já há título, já há vilão. Por ordem, eles são Jamie Bell, "The Adventures of Tintin: The Secret of the Unicorn" e Daniel Craig.

O que já se sabia sobre o filme: Steven Spielberg é o realizador, Peter Jackson é o produtor, Simon Pegg e Nick Frost vão ser Dupont e Dupond e Andy Serkis será o capitão Haddock. Gad Elmaleh e Mackenzie Crook estão também integrados no elenco, embora ainda não se saiba quais os seus papéis, e Toby Jones será o professor Girassol.

Agora, sabe-se que o filme será baseado no livro "O Segredo do Unicórnio"/"O Segredo do Licorne" (1943) e que Jamie Bell, o actor de 22 anos mais conhecido pelo seu papel de criança proletária bailarina em "Billy Elliot" (2000), será Tintin. Nos últimos anos, Bell trabalhou sobretudo na cena "indie". No entanto, em 2005 foi dirigido por Peter Jackson no "remake" de "King Kong".

O filme estreia-se em 2011 e terá argumento de Steven Moffat ("Dr. Who"), Edgar Wright e Joe Cornish. Esta história de Hergé começa com o jovem jornalista/detective a oferecer um barco-modelo ao capitão Haddock, que contém indicações secretas para a localização de um tesouro escondido há muitos anos pelos antepassados do marinheiro. Na origem da ocultação do tesouro está o pirata Rackham. Que será interpretado por Daniel Craig, mais conhecido como James Bond e que aqui será um vilão.

Ainda não é certo se "Tintin e o Segredo do Unicórnio" vai incluir parcelas da segunda parte da história, contida no álbum "O Tesouro de Rackham, o Terrível". Continua a assumir-se (pelo menos é o que fazem as publicações americanas e britânicas da especialidade) que Peter Jackson estará alinhado para realizar um segundo filme "Tintin". O filme está já em fase de produção.

"Tintin e o Segredo do Unicórnio" é uma "joint-venture" entre a Paramount e a Sony e está orçado em 99 milhões de euros. O filme vai ser rodado em 3D digital e vai basear-se na tecnologia "performance-capture" (pense-se em Robert Zemeckis e "Beowulf").


PÚBLICO

Publié dans Cinema

Commenter cet article