Spielberg já está mais próximo de Tintin - e sobretudo de Milu

Publié le par Zetantan

spielberg.jpgA adaptação cinematográfica de Tintin, em termos de curiosidade do público e de gestão mediática, está ao nível do fenómeno "O Senhor dos Anéis". Para além de se tratar também de uma trilogia e de ter Peter Jackson como um dos realizadores (o outro é Steven Spielberg), sente-se tal como então uma ansiedade em crescendo. Isto quando estamos a dois anos da estreia do primeiro filme, marcada para Outubro de 2011.

Título: "The Adventures of Tintin: The Secret of The Unicorn". Ah, a ansiedade... Devidamente alimentada, claro está, com novas revelações.

As mais recentes chegaram com uma entrevista de Steven Spielberg ao "Le Monde", integrada num especial que o diário dedicou à adaptação de Tintin ao grande ecrã. Ficamos a saber, por exemplo, que Spielberg se sente mais próximo de Milu, o célebre fox terrier, que do seu ainda mais célebre dono. Tudo humildade e espírito trabalhador: "Eu não tenho a tenacidade de Tintin. Como tenho uma família numerosa e um estúdio para gerir, não me consigo concentrar numa só coisa". Ficamos a saber, também, que Spielberg só conheceu Tintin em 1981, quando o viu referido numa crítica a "Os Salteadores da Arca Perdida". Entusiasmado com a descoberta, contactou Hergé para preparar um filme que, afinal, só se concretizará 30 anos depois.

No início de 1983, como conta ao "Le Monde", Spielberg manteve uma entrevista telefónica com Hergé e a sua mulher, Fanny. A conversa deveria ter sido seguida de um encontro em Bruxelas algumas semanas depois, o que nunca chegou a acontecer. Com a morte de Hergé a 3 de Março, adiava-se a primeira investida. Obstáculos criativos (dificuldade em transpor fielmente o universo de Tintin para cinema) e questões de gestão de carreira ("Os meus filmes passaram a ser um pouco mais sérios", justifica-se) atrasaram ano após ano o projecto.

Com a tecnologia para concretizar o que idealizou enfim disponível, Spielberg voltou a comprar os direitos para a adaptação em 2002 - o filme recorrerá ao "motion capture", a técnica utilizada em "Beowulf", "O Expresso Polar" ou no recentemente estreado "Um Conto de Natal".

Aponta o realizador de "ET" que dessa forma será possível "honrar a arte de Hergé, as suas tonalidades, as suas personagens". O primeiro filme da trilogia, "The Adventures of Tintin: The Secret Of The Unicorn", adapta duas aventuras da BD: "O Segredo do Unicórnio" e "O Tesouro de Rackham o Vermelho". Com Jamie Bell, a criança protagonista de Billy Elliot, hoje com 23 anos, no papel de Tintin, o James Bond Daniel Craig a vestir a pele de Rackham o Vermelho, e Andy Serkis, o Gollum de "O Senhor dos Anéis", a ganhar barba e talento no praguejar enquanto Capitão Haddock, o filme encontra-se na prolongada fase de tratamento digital.

Quanto à adaptação de Peter Jackson, ainda falta decidir tudo: "Vou voltar ler todas as aventuras do Tintin durante o Natal e tenho que decidir antes do Ano Novo". Confessa, porém, que lhe agradaria pegar "num dos álbuns em que [Tintin] vai à Lua".

Mário Lopes (PÚBLICO) 

http://cinecartaz.publico.pt/noticias.asp?id=247162

Publié dans Cinema

Commenter cet article