Tintin «racista» corre o risco de não editado na Bélgica

Publié le par Zetantan

Tintin corre o risco de não ser editado na sua terra natal, a Bélgica. Em causa está uma das suas aventuras, tida como racista, a segunda escrita por Hergé em finais da década de 20 do século passado.

 

O ajudante de Tintin numa aventura no Congo, negro, é visto como «estúpido e sem qualidades», lamenta à BBC Bienvenu Mbutu, um congolês a viver na Bélgica e que quer impedir a publicação do livro. «Faz crer que os negros são subdesenvolvidos», acrescentou Mbutu.

A decisão do tribunal belga era esperada hoje mas foi adiada para 5 de Maio. Em jogo está também a possibilidade de edição, com um aviso sobre conteúdo racista.

Já há três anos o livro tinha acendido muitas críticas devido aos estereótipos raciais. Na altura, a comissão britânica para a Igualdade Racial pediu que o texto fosse banido, já que continha um imaginário e palavras de conteúdo racista. O livro é agora vendido junto de literatura mais adulta e com um aviso.

Como exemplo há um excerto em que uma mulher negra diz a Tintin «Homem branco muito bom. Senhor branco é um grande homem juju!». Hergé, que morreu em 1983, explicou que o livro foi um «pecado» de juventude e que reflectia os preconceitos da época (1920). Uma aula de geografia de Tintin aos africanos sobre a Bélgica presente no texto foi mais tarde substituída por uma aula de matemática.

Bienvenu Mbutu espera então pelo dia 5 de Maio, mas já ficaria contente pela presença do mesmo aviso sobre conteúdos racistas existente na edição britânica.

In IOL

Publié dans Imprensa

Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :

Commenter cet article