«Filactera» de Mário Delgado

Publié le par Zetantan

filacteracover.jpg"Filactera" é o título de um disco de jazz de Mário Delgado e tem o interesse tintinófilo de umas das suas faixas ser dedicada a Hergé. 

 

“Filactera” é uma homenagem a muitos dos heróis da BD, mas é também uma homenagem ao espírito criativo, quase sem limites, de Mário Delgado e seus comparsas. O que o quinteto liderado por Mário Delgado nos oferece – com Alexandre Frazão (bateria), Andrzej Olejniczak (saxofone), Carlos Barretto (contrabaixo) e Claus Nymark (trombone), é uma obra de uma vivacidade especial, enérgica, naturalmente imagética, e que faz dela uma obra extraordinariamente bem conseguida. Uma viagem incrível a universos tão diferentes como aqueles que Hugo Pratt, Bilal ou Hergé nos oferecem com as suas histórias. Se ouvissem “Filactera”, não a enjeitariam como banda sonora dos seus bonecos; certamente.

 

Vejamos o alinhamento do CD:

 

01 I’m a Poor Lonesome Cowboy (para Morris & Goscinny)
02 Armadilha Diabólica (para Edgar Pierre Jacobs)
03 Sete Bolas de Cristal (para Hergé)
04 Corto Maltese (para Hugo Pratt)
05 Gatos e Corvos (Fritz the Cat) (para Robert Crumb)
06 Blues dos Freak Brothers (para Gilbert Shelton)
07 A Mulher Armadilha (para Enki Bilal)
08 Marcha das Múmias Loucas/Gelati Blues (para Jacques Tardi)
09 A Tensão U = RI
10 I’m a Poor Lonesome Cowboy (reprise)

Publié dans Tintim em Portugal

Commenter cet article